| 1 comentários ]

“Não há provas conclusivas de que aja qualquer indício na natureza de que uma espécie possa gerar outra espécie”, declarou o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), ao criticar reportagem de capa da revista Veja desta semana, intitulada “Uma guerra de 150 anos - Por que Charles Darwin não conseguiu expulsar Adão e Eva dos livros escolares”. Segundo o parlamentar, a revista tratou o assunto com arrogância ao defender uma tese que não é unanimidade entre os cientistas.

O senador pelo Rio de Janeiro criticou o fato de sequer a revista ter concedido espaço a cientistas que discordam da teoria evolucionista, como os que debatem o tema no site Dissent From Darwinism. Segundo Crivella, mais de 700 cientistas participam das discussões, alguns deles agraciados com o Prêmio Nobel.

- A teoria evolucionista também depende de as pessoas acreditarem em um milagre. O surgimento da vida a partir de uma ameba traz questionamentos, como por exemplo: e a ameba surgiu de onde? Eu sou criacionista, creio em Deus, acredito que o universo foi criado por uma força sobrenatural, por um Deus. Creio de todo o meu coração - afirmou Marcelo Crivella.

Se a doutrina evolucionista estivesse correta, defendeu Crivella, os arqueólogos já teriam encontrado fósseis de seres metade anfíbio e metade ave ou peixe, ou até mesmo um com características de homem e macaco.

- Onde está esse elo perdido? - indagou.

Fonte: Senado Federal, via O Verbo

Por Amenidades da Cristandade

Respeite os direitos autorais! Ao reproduzir este texto, cite as fontes, inclusive as intermediárias!

1 comentários

Guto disse... @ 13 de fevereiro de 2009 14:28

Boa Crivella!

Postar um comentário